Krom/Twr por Yuki Kahu

 “Eu sou visto em tantos lugares, escondido, tão aparente, que meu paradoxo parece ser o mais confuso para você. Eu sou o Sol brilhante nos céus, iluminador, repleto, completo. Eu sou a escuridão da noite, o silêncio, o brilho da negritude. Minha pele muda de cor conforme eu amo e sou amado. Meu coração bate em ritmos que regem civilizações, e ditam a canção que faz o mundo girar, dançar, parar e até mesmo se destruir e se criar. Me veem como a outra parte, o oposto, o outro lado, mas a verdade é que eu sou também o que você não pode ver, e também o que você é. Posso ser seu amante, seu pai, seu filho, seu amigo, seu companheiro e parceiro, seu início, meio e fim, porém sou mais complexo que isso. Eu sou o seu contrário, exato oposto, o que você esconde e tem medo. Mas sou também você, o que você sabe de si, o que enxerga quando se vê no espelho. Abraça a minha complexidade, e você abraçará a tua própria. Este sim, é o meu paradoxo, a minha existência, o meu caminho, seja ele qual for.” – Lilo Assenci

“Twr é o caminho entre o jovem deus azul e a morte de Arddhu. É o deus das feiticeiras, o senhor de negro que te espera na encruzilhada. É a sombra negra que espreita com chapéu escuro e olhos vermelhos. Twr também é o caçador vermelho que se transforma em animais e deixa o sangue fresco escorrer de sua boca. Twr é o sol dourado, a coroa flamejante de ouro.” – Naê