Gêmeos Divinos, por Yuki Kahu

“O grande paradoxo. Os dois e os três ao mesmo tempo. Os gêmeos divinos é o paradoxo da binaridade e de tudo aquilo que quebra o mesmo. É a pomba e a serpente. É Apolo e Ártemis. Apolo e Dionísio. Cosme e Damião. Eu e você. Os gêmeos divinos é a dança que acontece quando estou presente de corpo e alma no aqui e agora.” – Naê

“Eu gosto da ideia dos Gêmeos Divinos pois é a consequência direta de tentar conceituar a Deusa Estrela. “Quem se define se limita” como diriam os Orkuters, rs, e é assim mesmo, ao definir quem a Deusa Estrela é se exclui tudo o que Ela não é. Se Ela é tudo, então a ideia de nada precisa existir e assim a dualidade, o paradoxo, um fazendo contraste com o outro, uma dança.” – Pythio