Identificando problemas na Arte

A bruxaria é uma arte perigosa. As histórias sobre as três possibilidades de quando se encosta no poder são tão reais e palpáveis quanto o espinho de uma rosa perfurando a pele. Quando você entra no caminho da Arte sempre há três possibilidades: ou você morre, ou você enlouquece ou, com um pouco de sorte em seu destino, se torna um poeta. Muitas bruxas que vieram antes de nós recitaram incansavelmente os perigos e delícias deste caminho tortuoso, misterioso e iniciático. E o lore continua rolando de lábios para ouvidos, de pele para pele e de toque para toque.

Mas o fato da bruxaria ser uma caminho perigoso não implica que grupos sejam nocivos a sua sanidade mental e emocional, bem como a sua integridade física. Talvez o ar misterioso, estranho e mágico da bruxaria possa atrair todo tipo de gente perniciosa para o nosso meio. A bruxaria é um limiar sombrio, e talvez alguns tentem esconder suas insanidades nesse limiar, mesmo a Arte não tolerando este tipo de coisa. Afinal de contas, a Bruxaria não é uma oferta de liberdade e poder? Ignorar isto é um grande perigo para aqueles que estão iniciando neste caminho e também para aqueles que, por algum motivo, podem estar em garras que sugam a força vital, ao invés de dar mais poder e liberdade para a alma da bruxa.

Sexo, Orgulho, Self, Poder e Paixão: Estes são os poderes inatos da bruxa. Por qual motivo alguém de dentro do Caminho iria querer corromper conscientemente estes poderes que são direitos de nascença? Em 2017, após iniciar meu treinamento formal em Feri e também começar a me envolver com a Reclaiming, eu senti a diferença gritante de estar em um local abusivo para estar finalmente em um lugar seguro onde, depois de anos, consegui desenvolver minhas capacidades psíquicas e mágicas em um ambiente seguro para a minha integridade enquanto ser humano. Eu precisava escrever sobre e escrevi de forma desengonçada e apressada o seguinte texto:

Se você pertence a um círculo onde há medo, pressões e manipulações, fuja o mais rápido possível. Se colocam em você um constante medo de ataques psíquicos e mágicos, sinto lhe informar, estão te manipulando. Corra, peça ajuda. Se dizem que os Deuses te obrigam a ficar, saiba, eles mentem. Muita gente desequilibrada entra nos caminhos místicos e usam de um pseudo conhecimento ou pseudo status de sacerdotisa/sacerdote para manipular, controlar e jogar com as pessoas. Te fragilizam, te derrubam e te envolvem numa teia de emoções confusas. Fique atento ao controle dessas pessoas.

Ninguém pode obter sua liberdade, lembre disto.

Se te obrigam ao sexo ou ao toque forçado, saiba que isto não faz parte de um lugar sério, você está sendo vítima de um crime.

Se pseudos mestres prometem conhecimento, se colocam numa posição de que sabem demais e nunca ensinam, saiba, há algo de errado. Provavelmente você estará sendo enganado. Há professores sérios na bruxaria que podem te ensinar sem estas ilusões criadas para manipular.

Há uma grande diferença entre segredo iniciático e falta de transparência. Fique bem atento a isto.

Qualquer tradição séria de Bruxaria, com ou sem hierarquia, anárquica ou centrada, preza pelo bem estar e segurança de seus membros. Qualquer coisa que desrespeite seu corpo e seu bem estar é mais do que um indicativo de perigo, é um indicativo que você deve correr, denunciar e pedir ajuda.

Você não estará sozinho! Não tenha medo de pedir ajuda.

Estejam seguros.

ps: na minha jornada gostaria de ter lido mais avisos como esses, logo o escrevo agora.”

Revisitando este texto/encantamento percebo que há algumas lacunas, pois muitos usam de sua linhagem e seu conhecimento genuíno na bruxaria para explorar, manipular e brincar com a vida humana. Então uma linhagem não é, nunca foi e nunca será garantia de um local seguro. Não só de pseudo sacerdotes que guardam pseudo conhecimentos são feitos os abusos (apesar de haver mais chances de abusos nestas circunstâncias), há muita gente com linhagem comprovada que foi capaz de cometer absurdos. Gente com conhecimento que se aproveita deste poder para alimentar seus próprios demônios.

Outra observação neste texto é, gostaria de dar mais atenção a parte “diferença entre segredo iniciático e falta de transparência.” pois existe uma grande confusão no meio da bruxaria. Estudei com professores que foram muito abertos quanto a magia, quanto a prática e quanto a sua própria ética, mesmo sem em momento algum revelarem os segredos iniciáticos. Abertos e sinceros com suas próprias histórias. Mas o gancho de segredo pode ser usado como justificativa para esconder abusos sexuais, ou abusos mentais ou manter pessoas presas em um local nada saudável. Em alguns momentos os segredos cabem na palma da mão, frente a magnitude do que as pessoas dizem por aí.

Na época deste texto, eu estava tão furioso que queria expor isto. Era uma fúria extática guiada pelos Guardiões e Deuses estranhos que sempre me vigiaram, mas que até então não os tinha encarado. Para minha surpresa, eu recebi uma enxurrada de mensagens: muitas bruxas tinham se identificado. Eu fiquei perplexo, passei dias escutando relatos dos mais bizarros dentro da bruxaria. Abusos sexuais, agressões, manipulações, um culto ao medo, o culto a pseudo guerras mágicas e o constante medo de ataques mágicos… Juramentos com uma procedência um tanto que duvidosa e tradições com as regras mais estapafúrdias para seus membros.

O cenário da bruxaria parecia da seguinte forma para mim: bruxas talentosíssimas espalhadas pelos mais diversos cantos do meu país, que eram muito boas, mas que estava suficientemente machucadas para não quererem nunca mais se envolverem com uma comunidade, um coven, um círculo, um clã ou uma tradição. Foi nesse dia que decidi lutar mais ativamente para criar locais seguros dentro da bruxaria e tentar explicar o máximo possível que os perigos da bruxaria são outros, e não a tendência criminosa de certas pessoas do meio bruxo.

Eu queria escrever mais, eu queria falar mais sobre isto, cheguei a mandar outras mensagens e sempre a resposta era a mesma, histórias estranhas chegavam até mim. Eu escrevia para mim mesmo no passado, o tempo pode ser apenas uma distorção:

Conselhos para bruxas que começaram a jornada ou para quem está começando a entrar no caminho da bruxaria. (Ou o que eu gostaria de ter ouvido quando eu comecei a minha caminhada): A bruxaria pode ser perigosa, mas isto não significa que os grupos precisam ser perigosos a sua integridade física e mental.

Tenha mais de um professor dentro da Arte, fuja de mestres e lembre-se que você é sua maior autoridade espiritual enraizada em sua própria comunidade humana e não-humana.

Ao menos uma vez na vida, tenha um treinamento formal, e se não for possível, procure por livros que tenham algo parecido com um treinamento.

Tenha em mente que há tantas formas de praticar Bruxaria quanto há pessoas no mundo, e tudo bem.

Esteja em locais seguros para Bruxas e crie locais seguros para Bruxas.

Reconheça os locais tóxicos e abusivos, denuncie e se afaste disso.

E lembre-se: qualquer tradição séria irá prezar pelo seu bem estar e segurança.

Confie na sua intuição, honre seus mortos e se alinhe cada dia mais com o seu verdadeiro Self. Isto não é para qualquer um. Viva em êxtase.”

Revisitando este texto eu gostaria de fazer uma observação. Nem sempre as pessoas conseguem denunciar o abusador e afastar-se é uma solução. Em minha jornada, não consegui denunciar meus abusadores, e se fosse hoje eu chamaria a polícia. Mas eu estava envolvido emocionalmente e me afastar completamente foi o que serviu para mim. Com o tempo percebi o quanto foi importante contar minha história para outras bruxas.

Eu queria conversar com outras bruxas, e agora podia fazer isso. Minha liberdade de expressão não estava mais presa a um coven problemático ou a uma tradição abusiva. Eu me lembro do meu primeiro choque de realidade após eu ter saído de uma tradição que mais parecia um daqueles cultos malucos que vemos em seriados americanos. A nível de transparência citarei algumas coisas que envolviam esse culto bizarro:

#o poder estava centralizado em uma única pessoa que jogava os membros uns contra os outros (culminando em algumas situações desagradáveis, até a agressão física), bem como passava pela mão desta única pessoa qualquer decisão que afetasse a dinâmica da tradição (quem permanecia, quem era iniciado, quem tinha privilégios e quem não tinha, quem podia participar de determinados covens, etc.)

#existia retenção de conhecimento (que não existia propriamente dito) e manipulação neste sentido. Em tudo se maquiava uma aura de mistério, apesar de tudo estar disponível para qualquer pesquisador ávido. Sempre havia algo a mais que você não podia saber, algo que não era para você, mas que estava lá. E não estamos falando aqui de segredo iniciático. Você tinha que se manter fiel a abelha rainha para talvez um dia poder provar de um suposto mel.

#existia uma estrutura de poder que minava as bruxas, deixando-as sem possibilidade para crescer. Discordâncias não eram toleradas. Escolher seu próprio caminho? Nunca era uma possibilidade. Qualquer plano de estudar com alguém com conhecimento fora do grupo era completamente minado. (E não estamos falando aqui de treinamentos que exigem dedicação exclusiva por um tempo). Era na realidade uma forma de isolar bruxas de qualquer coisa que pudesse aflorar suas capacidades.

#O constante medo de sempre estar sendo atacado magicamente. Imagine viver constantemente sob ataque de forças obscuras e que todas as outras vertentes e clãs são seus inimigos. Uma forma simples de forçar um espírito de grupo e identidade: ter inimigos em comum. Sem o grupo você estaria em perigo: se não fosse por causa dos outros seria pelo próprio grupo que você “traiu”. Inclusive, a palavra traição é uma das coisas favoritas de pessoas abusivas, qualquer um que se levante contra abusos é visto como um completo traidor. Deuses, espíritos, oráculos eram envolvidos na teia de manipulação. Havia emissários dos “Deuses”. Você nunca poderia tirar suas próprias considerações sem ser agredido pelo grupo, que era treinado para se comportar assim. Muitas pessoas viraram inimigas sem ao mesmo terem motivos para isto.

#Agressão física era justificada como influências espirituais ao invés de responsabilizar agressores. Acho que esta é a parte mais pesada dessa história toda. Em dezembro de 2016, depois de uma grande bomba relógio ser armada por uma liderança que exercia manipulações e pressões, eu sofri uma agressão física.

#O uso de feitiços sobre os membros como justificativa de forçar uma harmonia também servia como uma tentativa de dizer: quem não segue as regras por vontade própria terá que segui-las à força, pois feitiços serão feitos.

#Juramentos que envolviam x ou y pessoa ser respeitada acima de qualquer coisa davam o tom sombrio ao culto ainda mais bizarro que estava a minha frente.

 Mas agora, vamos retornar ao meu choque de realidade. Me lembro de duas coisas que me abalaram de forma surpreendente. A primeira vez foi uma simples pergunta que eu fiz para minha primeira professora de Feri. Ela foi completamente aberta e eu senti que ela falava sobre conhecimento. Era o que ela realmente fazia, e ela não estava usando aquilo para dizer que era maior que eu, ou que eu estava preso a ela, muito pelo contrário, o objetivo parecia mais “eu vejo e faço desta forma e quero que bruxas sejam tão capazes quanto eu”. Outro fato que me desmoronou foi no dia que discordei de uma visão muito específica e a resposta que recebi foi “maravilha, faça deste jeito, pois faz sentido apesar de eu ir para um lado oposto”. Me lembro até hoje de uma famosa frase dela que era “se você não gosta do lore, crie o seu próprio”. Que VeeDub seja lembrada.

Talvez se eu não tivesse coragem de romper com o grupo problemático, eu jamais teria desabrochado como bruxa, e isto de forma alguma foi algo tranquilo. Foi doloroso, foi como abrir uma ferida com pus para limpar. Envolveu dor e choro. Se eu não desse a chance de pessoas qualificadas e que prezavam pelo meu bem estar me ensinarem, talvez eu não teria experimentado as delícias do mel e do fogo. Ou a visceralidade da vida, ou talvez eu nem tivesse me entregado com tanta ênfase ao mundo dos espíritos. Não teria conhecido a encruzilhada, os espíritos tutelares da minha tradição ou até mesmo criado conexões tão incríveis com bruxas locais ou ao redor do mundo. Eu teria entregado meu direito e minha força vital a outra pessoa.

Neste momento do texto gostaria de compartilhar algumas perguntas que podem ajudar na identificação de possíveis problemas:

O local que você encontrou é transparente em seu funcionamento e te passa segurança? As pessoas zelam pelo seu bem estar? Há mestres que querem adulação? Seus professores instigam uma disputa nada saudável entre seus alunos e colegas? A culpa e vergonha são métodos utilizados para o seu “desenvolvimento mágico”? Você conhece a história de seus professores? Ela é clara e verificável na medida do possível? A história de seu professor é rodeada de tragédias, mais do que o normal – por exemplo: problemas com alunos, com grupos, com tradições? Existem situações estranhas que envolvam algum tipo de abuso sexual ou físico?

E agora, talvez a mais importante de todas as perguntas:

Você sente que sua força vital pertence a você ou ela está na mão de outra pessoa? Reflita sobre a sua resposta. Se você não consegue responder esta pergunta significa que há algo errado com o local onde você está.

Lidando com o problema ou quando o afastamento é a solução

Quando estamos com um problema deste tipo na Arte, o primeiro passo é dizer a si mesmo algo como:

“Estou com problemas.”

“Talvez eu tenha me equivocado sobre onde estou.”

“Talvez eu tenha feito uma escolha errada em estar aqui.”

“Eu acreditei em algo e agora não é bem isso.”

“Admirei tal pessoa, mas agora ela parece nociva.”

“O grupo não está funcionando de forma a me levar a um desenvolvimento saudável.”

“Me sinto preso e isto não está funcionando.”

Você pode adicionar qualquer frase aqui, essas frases costumam ser frustrantes e assustadoras, mas fazem a gente começar a entender o que anda rolando.

A minha primeira atitude em perceber que estava em uma situação abusiva foi: tentarei mudar a situação. Mudarei como as coisas funcionam e assim as pessoas mudarão também. Infelizmente nem sempre a coisa funciona dessa forma e a única opção viável é realmente sair e se desvincular completamente do grupo. Grupos tendem a reproduzir sistemas de abuso sem ao menos perceber, é fácil criar um sistema de pirâmide de poder sobre. Alguém te domina, mas você suporta pois também domina alguém e por vezes acredita que um dia chegará ao topo.

Essas redes de abuso são projetadas para serem seguras para apenas um tipo de pessoa: a abusadora. E geralmente as teias são fortes como pedra, e as chances de reverter a situação são pequenas. Inclusive, se um grupo de pessoas que se desliga de um local desses permanece trabalhando junto, elas devem ficar muito atentas, há grandes chances do grupo de reproduzir as mesmas situações e estruturas.

Também há pessoas que se sentem ameaçadas pelo simples fato dos abusadores terem seus contatos “políticos” no meio da “bruxaria”. O medo de represálias realmente é assustador. Uma coisa que tenho para falar é: vocês não estão sozinhos. E lembrem-se: ameaça espiritual é uma forma de desonestidade para manipular e manter as pessoas presas em seus grupos. Ameaça de isolamento no meio mágico é igualmente desonesto e manipulador, não esqueçam disto jamais.

Muitas vezes grupos abusivos se disfarçam dentro do discurso “somos os únicos grupos seguros da região”. Muito cuidado com grupos que alegam verdades únicas ou se auto promovem demais nestes aspectos. Realmente o grupo incentiva as pessoas a serem suas próprias autoridades espirituais ou eles se comportam como uma espécie de culto de escolhidos e únicos verídicos? Fiquem atentos a qualquer centralização de poder, geralmente essas centralizações vem acompanhada de camadas e mais camadas de abusos.

O conselho que dou para pessoas que estejam em uma situação de abuso é, não tenham receio de cortar relações e se afastar. A sua vida não irá acabar com isto, muito pelo contrário, ela pode começar a partir deste start. Geralmente as ligações emocionais estão tão fortes que nos sentimos completamente minados em tomar uma atitude mais agressiva… Mas a bruxaria é selvagem, ela é agressiva, ela é visceral… e podemos usar estes poderes para seguir em frente.

O afastamento é como um encantamento, tecido com coragem e um senso de auto responsabilidade enorme. Para estar livre de um ambiente de alta pressão, onde você é completamente minguado e onde as linhas de Aka que te ligam a situação ou a pessoas são fortes ao drenar sua força vital, o mais aconselhável é o isolamento tanto das situações quanto das pessoas. Para que essas linhas possam secar e não terem mais nenhuma influência sobre ti.

Não tenha medo em abandonar, em virar as costas, a seguir em frente e a dizer não para todos que estejam envolvidas nestas teias, mesmo que isso pareça custar caro. Não há preço que possa comprar a sensação de ser sua própria autoridade espiritual. O número de pessoas que tiveram que passar por isto é muito alto, então você não está sozinha. A princípio você ainda sentirá as pessoas próximas. Com o tempo cada influência vai sendo minada por ti.

Por um breve momento o isolamento e a solidão podem ser uma consequência. Um conselho que dou a todos é: se isolem de situações ou pessoas que sigam os mesmos padrões abusivos que você identificou. E tenham em mente que sempre haverá bruxas que valem a pena manter contato. Mesmo em um caminho dito como solitário, não se isole de outras bruxas, uma rede é algo poderoso e você poderá buscar apoio e colo para pessoas que te apoiem, e que não produzem teias que possam te aprisionar.

Uma coisa que aprendi nestes anos de bruxaria na Tradição Reclaiming é que cada pessoa é sua própria autoridade espiritual. Victor Anderson dizia: “Nunca submeta a sua força vital a nada e nem a ninguém.” Essa frase ecoa de forma profunda no meu ser, bem como tento transmiti-la pelos meus lábios de forma intensa para o maior quantitativo de bruxas. E eu desejo profundamente que os espíritos ajudem para que esta frase vá cada vez mais longe e mais profundo no caminho tortuoso.

Quebrando as correntes na encruzilhada

Você pode querer ajuda de Deuses, Aliados, Companheiros do Fetch (Fetch-mate), Familiares e uma infinidade de espíritos que podem te auxiliar neste momento libertador. Não existe uma receita única para romper grilhões. Você pode ser acolhido por outras bruxas, você pode passar por um profundo rito de passagem ou até mesmo realizar um feitiço. Talvez os próximos tempos após o rompimento você sofra ou até mesmo sinta falta da estrutura das relações abusivas.

Escute o som que vem do selvagem, escute o Fetch e encare seus demônios. Reze e dance, busque por êxtase. Lembre-se que não há parte alguma sua que não faça parte dos Deuses Selvagens. Talvez em algum momento minaram seu poder, mas ninguém pode tirá-lo de você. Sexo, Orgulho, Self, Poder e Paixão são seus direitos de nascença. Você ainda possui forças para se alinhar cada vez mais de acordo com sua própria verdade neste mundo.

Que seu Sexo seja sagrado

Que seu Orgulho retorne

Que seu Self seja reverenciado

Que seu Poder desabroche

Que sua Paixão renasça

Não se esqueça que seus pés são sagrados

E que seus joelhos só se dobrem nos altares sagrados

Que seu sexo se cure das feridas

Que seus peitos sejam ornados com força, beleza e poder

Que seus lábios encantem o mundo

Bruxas

Que seus direitos de nascença brilhem e te protejam

Sexo, Orgulho, Self, Poder, Paixão

Que a vida e o êxtase lhe deem um beijo neste dia

Você é inabalável, seu sangue possui a chama

Que a desesperança seja levada pela foice dos deuses sábios

Que a esperança venha conduzida pelas crianças sagradas

Até o seu círculo, até a sua encruzilhada

Bruxas

Que o Amor vença a intolerância

Que a Lei se sobreponha a violência

Que o Conhecimento destrua as inverdades

Que a Liberdade quebre os grilhões

E que a Sabedoria varra os ignorantes

Que o doce beijo da vida te toque neste momento

Em seu círculo, em sua encruzilhada

Bruxas

Mudem o mundo

Que a escuridão e a luz das estrelas

possam te abraçar neste momento

Estamos todos conectados.

Recomeçando: Entenda que nem tudo está perdido. Você pode recomeçar. Lave suas feridas, cicatrize seus cortes. Tudo bem romper de vez, tudo bem experimentar o mundo novamente. Mas tenha em mente, você pode ser a sua própria autoridade espiritual e jamais entregue sua força vital a ninguém. Se orgulhe de sua cura e jamais romantize seu sofrimento. Qualquer comunidade que se importa com seus membros, com ou sem hierarquia, preza pelo bem estar de cada bruxa presente.

Sempre se questione sobre as relações de poder, principalmente quando elas tentam de alguma forma esmagar a sua liberdade.

Que seus passos sejam abençoados a partir de hoje. Bênçãos Selvagens.

Com Amor, Yuki.


Yuki é bruxa, Coelho da Lua, iniciado na Tradição Feri e tem envolvimento com a tradição Reclaiming, sendo membro ativo no Coven Bruxas Vermelhas no Rio de Janeiro. Também é ordenado Sacerdote pela Irmandade de Isis, onde administra o Iseum Quartzo Rosa. Possui envolvimento intenso com práticas mágicas ligadas ao tarô, bem como foco no trabalho mútuo com os espíritos da terra. Autopossessão e possessão são palavras importantes em sua prática. Acredita que quando curamos a terra o coração da humanidade é curado simultaneamente.

3 comentários sobre “Bruxaria e Relacionamento Abusivo

  1. Graças aos Deuses não tive a experiência ruim de me envolver com grupos abusivos, mas deixei de me envolver por muito tempo inclusive por histórias de amigues que se envolveram. Então quando finalmente me permiti participar de um encontrei nas Bruxas Vermelhas da Reclaiming um lugar de apoio, de crescimento, de desafios, de respeito a minha liberdade, individualidade, autoridade pessoal. Obrigado por esse texto incrível e nescessário! Orgulho de te ter como amigo e professor! Te amo! 🖤

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s